FILOSÓRFICO

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

OS ANEXOS DA GRÁVIDA

O ilustre geneticista Mário de Sousa, médico pelo “sim”, entra em palco no Jornal de Notícias de 25 de Janeiro último.

Começa por reconhecer que “ (...) é facto científico que a nova vida [humana] inicia-se na fecundação.”

Sobrepõe depois uma capa de filósofo, e com um passo de mágica, tira o coelho da cartola:

I
( para quem gosta de pensar )


Todavia – acrescenta ele – essa nova vida, até aos cinco meses, não passa de um “esboço”, de “um anexo da mãe sem autonomia”, porquanto não desenvolveu ainda certas das suas potencialidades, tais como o funcionamento do pulmão (sic), a segregação de hormonas pela tiroide, o amadurecimento do cérebro, a formação de válvulas no coração de modo a conduzir o sangue a toda a parte.

De modo que, para ele, pelos vistos, a nova vida, até aos respectivos cinco meses de gestação, não é ainda uma vida em condições, não é ainda um ser humano propriamente dito, ou é um ser humano incompleto, embora tenha de “ter estatuto e dignidade e ser protegida.”

Esta de um determinado ser vivo em desenvolvimento não ser aquilo que é enquanto não atingir certa fase do seu desenvolvimento é digna de primeiro prémio na antologia dos ilogismos ! Um batateiro não é batateiro enquanto não der batatas !

Salvo se ele considera que essa vida que começa na concepção, é uma vida não humana e, apenas uma vida ( como dizer ? )...surrealista.
Mas porquê surrealista só até cinco meses ? Eu escolheria antes a puberdade. Até lá falta ao dito ser vivo uma característica de todo o ser vivo: a capacidade de reprodução...


II

( para quem pensa facilmente )


“Anexo”, “falta de autonomia” , porquê ?

Porque vive unido à mãe ? Porque vive “parasitando” o corpo dela ?
Assim permanece até aos nove meses e não durante cinco...
E que tem isso a ver, com diversa natureza ou dignidade ?
Duas crianças que nascem unidas por alguma parte do corpo – e, nesse sentido, não autónomas – não são seres humanos como quaisquer outros ?

E que tem a ver parasitagem com falta de autonomia, de identidade própria ? Inúmeros seres sobrevivem parasitando outros seres vivos, do nascimento à morte, sem que, de modo algum, com eles se confundam. A começar pela lombriga...


III
( para quem vê logo, quase sem pensar )


Mas a mais clamorosa incongruência do médico em causa, porque entre aquilo que sustenta e aquilo que irá fazer, reside nisto:

- Por um lado, sustenta que o embrião deve “ter estatuto e dignidade e ser protegido.”
- Por outro vai votar favoravelmente uma lei que lhe recusa toda a protecção, todo o direito, qualquer estatuto, qualquer dignidade, tratado juridicamente como uma coisa, de que a mãe pode dispor a seu livre alvedrio, tal como dispõe de qualquer móvel que prefira conservar ou lançar fora !

Reserva o estatuto para os embriões de laboratório ?

3 Comments:

  • Esse Sr. Doutor é como uma jovem da qual hoje li que "o feto e a mãe são a mesma entidade". É tipo uma Santíssima Trindade... só que a dois. São dois, mas não são dois... é um mistério.
    É um mistério que durante cerca de 9 meses a mulher tenha 2 corações, 2 olhos, 4 narinas, 4 braços, 4 pernas, 40 dedos... Basicamente, durante a gestação, a mulher é um mutante. E o feto é um apêndice. Isto até dá medo de ser mulher.
    Aquela mocinha ainda tem a desculpa de não ter estudado embriologia ou genética. Já o Dr. Mário de Sousa...

    Gostava de saber porque é que o Serviço Nacional de Saúde oferece acompanhamento pré-natal a "esboços" e "anexos da mãe" [se reconhece que há uma mãe, não há um FILHO?!]. E porque é que a lei até reconhece direitos sucessórios a estes "anexos".

    Estamos entregues aos bichos!

    By Anonymous Lu, at 12:33 da manhã  

  • Cara LU:
    Os meus parabéns pela forma como consegue, numa luminosa síntese,desmontar as trapalhadas dos "doutores mários de sousas".
    Excepcional capacidade !
    Cordiais cumprimentos.

    By Blogger Filosórfico, at 11:51 da manhã  

  • parabens pelos seus argumentos . não se compreende como estes que não protegem o feto por não ser autónomo andem a tentar proteger embrioes excedentarios com uma ou duas horas de fecundaçao

    By Anonymous Anónimo, at 1:58 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home